Marketing de Resultados: Conteúdo e Persuasão. Assim a venda acontece! → (Case de Sucesso) ←

Eu não sou, exatamente, um profissional de marketing, embora muitos de meus amigos não concordem com essa afirmação e, inclusive, vários de meus professores, especialmente do tempo de meu MBA, sempre tenham me considerado como “um cara de marketing”.

É verdade, também, que em muitas das vezes em que realizei meus trabalhos de recuperação de negócios em risco, o ponto alto de tudo o que foi feito, com certeza, estava relacionado ao reposicionamento comercial e de marketing, porque não há recuperação de negócios em crise, sem recuperação das vendas e a melhora dos resultados.

Sou um profissional da estratégia empresarial, sou um recuperador de negócios em situação de risco e não um homem de marketing, segundo o que se pode, convencionalmente, considerar um “homem de marketing e vendas”. Mas eu pergunto, quem pode ser um homem de estratégia e se dizer distante do marketing? Quem pode, nos tempos atuais, ser de estratégia e não ser de marketing?

Seguramente, ninguém pode ficar distante do marketing, hoje em dia, se quiser ser um professional de sucesso ou um profissional útil, de verdade, para a empresa em que atua.

Mais importante ainda é saber que o marketing destes tempos de pós-modernidade sofreu profundas transformações, ganhou mais profundidade e mais amplitude, se digitalizou e virou algo fortemente direcionado e profundamente focado.

Está claro, neste momento, que até mesmo os profissionais de marketing, se não se atualizaram, se não reciclaram seus conhecimentos, precisam fazer isso com absoluta urgência, porque a saída de qualquer crise fica mais fácil pelo caminho de uma boa estratégia de marketing e as boas estratégias não existem, com a aplicação de um marketing que não privilegie os conceitos do marketing atual (Veja ESSE TEXTO DO LINKEDIN).

Aliás, neste momento, em que se fala tanto de crise, são as boas estratégias de um novo marketing que estão distinguindo as empresas e as empreitadas de sucesso, do lugar comum, da maioria, desesperada, que não encontra outra coisa a fazer, que não seja a reclamação e a desculpa.

Mas o que é esse marketing moderno, afinal de contas? Estou falando do marketing de persuasão, o marketing dos gatilhos mentais e de seus resultados superiores, quando comparado ao marketing tradicional, que alguns apelidaram de marketing da esperança, maldosamente. O novo marketing é a ciência da persuasão colocada na vida real, está fundado na neurociência e é algo bastante poderoso e de resultados surpreendentes.

Durante estes últimos meses tive a oportunidade de atuar com esses gatilhos mentais para salvar, do fracasso, um subprojeto que estava “em maus lençóis” e ameaçava destruir o projeto maior, do qual faz parte, que é muito importante e com o qual estou envolvido, aqui no sul do Brasil.

Estamos desenvolvendo o projeto de um grande empreendimento, em Santa Catarina, voltado para clientes, inicialmente regionais e, futuramente, a médio e longo prazo, para clientes globais. Esse projeto, no entanto, engloba diversos subprojetos, todos de grande importância e cujos insucessos podem impactar de forma decisiva na viabilidade do projeto master.

Dentre os subprojetos há o de um curso, que precisávamos viabilizar para o período das férias escolares, do mês de julho. A equipe que estava envolvida nesse subprojeto fez todo o trabalho de contratação de professores, programação de local, elaboração da ementa das disciplinas e todas as demais necessidades, incluindo a estratégia de marketing a ser aplicada.

No dia marcado, o curso foi lançado e a estratégia de marketing aplicada, com resultados desastrosos. Ninguém se interessava por um curso que nós sabíamos que era transformador e extraordinário. Da maneira como as coisas estavam acontecendo aquele curso não se viabilizaria e, sem inscrições, não aconteceria. Porém, se não éramos capazes de viabilizar aquele curso, obviamente, muito menos ainda seriamos capazes de viabilizar o projeto maior, do qual o curso era apenas uma pequena parte, não é lógico?

Foi então que resolvi interferir no trabalho do grupo, chamar a responsabilidade pela divulgação do curso e aplicar as técnicas que eu estava conhecendo e que diferenciam a maneira antiga da nova maneira de fazer marketing. Reformulei tudo, criei uma estratégia na qual privilegiei o uso de alguns gatilhos mentais. Alguns poucos, aliás, os poucos que julguei possíveis dentro de uma estratégia que buscava recuperar um jogo perdido.

Era a estratégia possível em um jogo que nascera sem estratégia alguma…

Utilizei o gatilho mental da escassez, o da prova social, o da autoridade, o da urgência e mais algumas poucas novidades.

O resultado foi surreal… em uma semana, um curso que estava com inscrições abertas há mais de 20 dias, sem inscrições, esgotou suas vagas, criou lista de espera e, pasmem, foi vendido por um preço maior do que aquele que estava estabelecido ao tempo em que não vendia.

Você acreditaria se alguém dissesse para você que venderia o produto que você não está conseguindo vender, aumentando o preço dele, ou seja, venderia o que você não está conseguindo vender e faria isso com mais resultado do que aquele que você estava buscando, sem sucesso?

Pois foi isso o que aconteceu, agora, no final do mês de junho! E estou falando de junho de 2016, um momento em que a economia brasileira vive muitos problemas, em que as pessoas vivem muita desesperança, não é mesmo? Pois bem, elas compraram um curso que antes não estavam querendo comprar, por um preço maior do que aquele que lhes estavam oferecendo antes!

Você percebe o que isso significa? Você percebe que seus negócios podem estar sofrendo do mesmo tipo de problema que sofria esse curso do qual estou lhe falando? Você percebe que você pode estar com seus negócios em crise, apenas, por absoluta falta da informação correta sobre como fazer a coisa certa, para mudar seu destino?

Você conhece o marketing de persuasão? Esse marketing que nem é mais uma novidade, mas ele tem a capacidade de mudar a performance de seus negócios, você acredita nisso? Você já ouviu falar disso? Ou você está sentado em sua cadeira apenas reclamando dos problemas enquanto o mundo vai se transformando e utilizando novas formas de gerar resultados e promover vendas?

Pense bem, mexa-se! Rompa sua caixinha… saia desse cantinho em que você fica sentado esperando que seu “marketing de esperança” gere os resultados que precisa. Assuma o comando de seus negócios! Utilize as técnicas de persuasão que são capazes de levar seus negócios para o próximo nível!

Marketing de persuasão…  é isso, ou a CRISE! Mas você é quem pode fazer a ESCOLHA! Tire a crise de sua cabeça e vá dizer para seus clientes comprarem seus produtos, porém, antes de tudo, aprenda a forma certa de dizer, com persuasão.

Você acredita nisso? Ou vai continuar paralisado pela CRISE? Lembre, PERSUADIR É CONQUISTAR ou CONQUISTAR É PERSUADIR!

João D Caetano de Oliveira

jcaetanodeoliveira@gmail.com

Cel.: (47) 9968-6158

 

(*) – Texto publicado em www.caetanodeoliveira.com.br

Caetano de Oliveira

Economista, Coach, Consultor Estratégico de Resultados, Empreendedor Digital e Palestrante. Graduado em Economia, possui três cursos de Pós-Graduação em nível de Especialização: Planejamento Estratégico (INPG), Gestão Empresarial (FGV) e Mediação e Arbitragem (UNIVILLE). Interessado em estratégias de recuperação de negócios em situação de risco, Marketing de Conteúdo como instrumento de intensificação das vendas e Mediação de Conflitos.

Website: http://www.alatinaconsult.com.br